Arquivo

Posts Tagged ‘Nicolas Oechsler’

Team Tanfoglio Brasil 2018 – Nicolas e Catarina

 

 

 

Desde o início deste ano estamos com dois novos e jovens integrantes de Blumenau em nosso Team Tanfoglio Brasil. A doce e encantadora Catarina Fiorini Oechsler, 13 anos e praticante do Tiro Prático oficialmente desde os 11 e Nicolas Fiorini Oechsler, um garoto dedicado e promissor de 17 anos e praticante desde os 11 também. Ambos filhos de atiradores, que assim como a minha família “Saldanha”, seguem unidos na vida e no esporte.

Para nós é uma honra tê-los em nosso time. Que seja o início de uma longa e promissora jornada. Meu agradecimento especial aos pais, Tânia e Kuki Oechsler, por confiar seus meninos aos nossos cuidados.

Vamos conhece-los um pouco mais de perto:

  1. Quando e como iniciaram no Tiro Prático? Seus pais incentivaram de alguma maneira? Conte nos um pouco sobre o início dessa trajetória.

Nicolas: Comecei a atirar para acompanhar meu pai. Sempre fui fã de armas e poder ter um contato maior com elas sempre me animou. Até que fiz minha primeira prova, e o que era apenas um hobby de fim de semana, passou a ser um estilo de vida. Logo que comecei a viajar para campeonatos com meu pai com frequência, minha mãe e minha irmã decidiram nos acompanhar. Era uma forma de manter a família mais próxima e compartilhar de um prazer em comum. Hoje viajamos o Brasil todo, competindo em diversos locais e conhecendo várias pessoas ligadas ao esporte.

Catarina: Comecei a atirar para acompanhar meus pais e meu irmão, que já praticavam o esporte. Sempre fiquei fascinada e um tanto agoniada por passar os campeonatos assistindo e esperando ansiosamente minha vez chegar. Logo que conseguimos as autorizações necessárias para menores praticar o esporte, ganhei minha primeira arma, um Colt M4-ops .22lr. Hoje atiro com uma Tanfoglio stock II, com a expectativa de realizar algumas provas internacionais. Eu e meu irmão temos a sorte de ter a família toda atirando juntos.

  1. Quais esportes já praticou e/ou pratica? De alguma maneira ajuda a melhorar seu desempenho no IPSC?

Nicolas: Já pratiquei futebol e handebol quando mais novo, mas acabei abrindo mão para me dedicar mais ao tiro. Hoje em dia pratico apenas Crossfit, visando um melhor condicionamento físico, o que ajuda nas pistas.

Catarina: Pratico handebol no colégio e acredito que ele me ajuda no desempenho para as pistas de IPSC.

  1. Além do treinamento físico e técnico, tem algum outro tipo de preparação para os campeonatos?

Nicolas: Além do Crossfit, mencionado acima, procuro sempre fazer outro esporte aeróbico para ter uma boa resistência cárdio. Tenho também o acompanhamento de uma psicóloga do esporte, a Sra. Maria Izabel Alves Martins, uma ótima profissional que ajuda muito na questão emocional.

Catarina: Eu também iniciei um treino de fortalecimento muscular e boxe para auxiliar no preparo físico.

  1. Quais são as maiores dificuldades durante as competições?

Nicolas: Ainda estou me desenvolvendo como atleta e me encontrando. Acredito que minha maior dificuldade seja conciliar, de uma forma melhor, pontos X tempo. E após cometer algum erro (porque errar é humano) conseguir deixá-lo para trás e iniciar cada pista como sendo “única”.

Catarina: Para mim, uma dificuldade encontrada é conseguir me concentrar com tantos amigos conversando. Além do pouco tempo que temos de walk through.

  1. Quais foram os atletas de maior referencia no início e atualmente?

Nicolas: Desde sempre até hoje eu possuo duas grandes referencias no esporte, Jaime Saldanha Jr. e JJ Racaza. Pra mim, são dois atletas impecáveis em técnica, mente e físico.

Catarina: No início, as referências foram meu irmão e meu pai. Mas no dia 15 de fevereiro de 2015, conheci o Jaime Saldanha Junior, e a partir daí, ele foi minha referência no esporte.

  1. Tem algum ídolo dentro ou fora do tiro?

Nicolas: Meu pai.

Catarina: Meus ídolos são todos atletas de IPSC, são eles: Jaime Saldanha Junior, JJ Racaza, Maria Gushchina e meu irmão Nicolas.

  1. Como foi sua entrada para o Team Tanfoglio?

Catarina e Nicolas: Nossa família estava reunida em uma cafeteria quando o Jaime chamou meu pai via whattsapp. Alí começou a se realizar um grande sonho que é fazer parte da Team Tanfoglio Brasil.

  1. Catarina, como se sente migrando para a divisão Production? Notou muita diferença da divisão Light para a Tanfoglio Stock II?

Catarina: Tenho grandes expectativas da divisão Production, pois posso atirar nessa divisão fora do Brasil. Notei grande diferença, saindo da divisão light (atirava de Imbel) principalmente quanto ao gatilho de ação dupla e ao recuo da arma! Agora tenho que acostumar com a preparação do gatilho e sempre me lembro das palavras do Sr Roberto Saldanha: “ Prepara.., esmaga. Prepara…, esmaga!!”

  1. Nicolas, porque escolheu a divisão Production? Sendo um atleta tão veloz, pensou em migrar para a divisão Standard ou Open?

Nicolas: a Production é a melhor escola dentro do tiro. Nela você aprende os fundamentos de uma maneira melhor do que em qualquer outra divisão. E no IPSC, velocidade não é tudo.

  1. Como é sua rotina de treinos?

Nicolas: procuro treinar todos os dias, ou sempre que possível. Sejam treinos técnicos ou mentais.

Catarina: Treino em seco em casa durante a semana, e nos finais de semana vamos ao clube!

  1. O que acha do tiro em SC e no Brasil?

Nicolas: Santa Catarina, na production, é um dos estados mais fortes do Brasil. Possui diversos atiradores experientes que, com certeza, disputam um lugar no pódio. O Brasil não se destaca muito como país no cenário mundial. Temos atletas brasileiros que são muito conhecidos lá fora, mas no geral, acho que devido um pouco à nossa legislação rigorosa, não chegamos tão longe quanto os EUA.

Catarina: Sou ainda iniciante no tiro, mas o IPSC esta muito forte em Santa Catarina e no Brasil com grandes referências!

  1. Quais são suas pretensões a curto e longo prazo no Tiro Prático?

Nicolas: Em curto prazo, este ano, pretendo ficar bem colocado nacionalmente. Em longo prazo almejo boas colocações em provas grandes, quem sabe até um mundial.

Catarina: Comecei na Handgun com 11 anos de idade e a curto prazo pretendo ficar entre as 5 melhores damas do Brasil. A longo prazo ser campeã brasileira. E quem sabe subir no podium em algum campeonato mundial.

  1. Possui algum outro apoio/patrocínio?

Nicolas: Além do Team Tanfoglio Brasil possuo outros apoiadores. São eles:
Guga Ribas Company (que fornece todos os equipamentos necessários para a pratica do tiro), Morigi Armeria (que muito nos apoia e mantém uma manutenção regular nas armas da família), Sport Blu (empresa de materiais esportivos que nos veste) e FMD – Fundação Municipal de Desportos de Blumenau.

Catarina: Além dos que o Nicolas citou acima, também temos todo o apoio do meu pai e minha mãe.

 

  1. Descreva, em poucas palavras, o significado do Tiro Pratico para você.

Nicolas: Foco, dedicação e superação.

Catarina: O tiro prático é um jogo divertido que nos ensina respeitar as regras e ter um grande controle. Ensina muito para nossa vida também.

  1. Descreva um breve curriculum com os melhores resultados até o momento.

Nicolas: Campeão Catarinense Handgun Junior, Campeão Catarinense Shotgun Junior, Campeão Catarinense Mini-Rifle Junior, Campeão Catarinense Mini-Rifle Overall. Campeão Brasileiro Handgun Junior, Vice-campeão brasileiro production classe A. Quinto colocado handgun junior no mundial de IPSC.

Catarina: Campeã catarinense divisão light junior,  Campeã brasileira divisão light junior, Vice-campeã catarinense divisão Production junior e 4ª colocada no brasileiro divisão Production damas

 

Anúncios