Arquivo

Posts Tagged ‘Frostproof’

Florida Open 2018



Resultados detalhados: https://practiscore.com/results/new/51131

Anúncios

Florida Open 2016 na visão de uma leiga espectadora

27/fevereiro/2016 7 comentários

por: Tatiane Tie

Decidimos de última hora ir ao campeonato. Após alguns dias exaustivos de trabalho achei que merecia umas férias e no dia 4 de janeiro compramos nossas passagens.

Não lembro do Jaime ter mencionado sobre expectativa para esse campeonato e sei apenas que treinou 2 dias antes da prova. Ainda no Brasil falei que ele não deveria ficar chateado se não fosse bem porque realmente não se preparou.

No dia anterior a prova passamos no stand em Fostproof para ele dar uma olhada nas pistas. Ele me mostrou o Shannon Smith atirando e disse que era dos bons! Mas tava mesmo ansioso para atirar com Max Michel, atual campeão mundial de Open.

Shannon tinha avisado o Jaime que Max Michel atiraria na sexta no super squad, e por conta disso ele optou por atirar no mesmo dia. Infelizmente ele não compareceu. Jaime, como sabe a maioria, não teme desafios e por ser competitivo gosta de atirar com os feras.

No super squad estavam os brasileiros Caciano e Tiago Ordine, dois americanos e uma turma super animada da Jamaica. Entre eles dois dos bons – Lesgar “Speed” Murdock e Rory Wilson.

Como em todos os outros campeonatos grandes que acompanhei, bastou uma pista para o pessoal começar a falar com ele e logo na primeira pista Speed pediu para o Jaime ir mais devagar: “slow down”.  Fazia muito tempo que não via o Jaime atirar de Open e foi espetacular!!

Nas primeiras pistas foram mais de 4 segundos dos maiores concorrentes. Fiquei toda orgulhosa observando os cumprimentos e elogios dos ROs e também dos concorrentes.

Sou esposa e portanto, suspeita, mas tenho absoluta certeza que ele recebe cada elogio com surpresa e muita satisfação. Como se realmente não soubesse o quanto é bom. E na minha opinião, isso o torna ainda melhor.

Em uma das pistas tomamos um susto quando anunciaram miss. O mais bacana é que um dos jamaicanos da mesma categoria que o alertou que havia um tiro dentro do outro. Chamaram o ranger master e foi comprovado. Jaime atirou uma prova limpa e sem penalidades.

No final da prova já imaginava que poderia ganhar. Mas ainda faltavam os atiradores de sábado e domingo.

Felizmente ninguém chegou perto e ele foi o campeão do Flórida Open 2016. Na entrega da premiação, Shannon disse que o Florida Open não é uma prova qualquer e praticamente ninguém passou sem penalidades com exceção do Jaime. Disse também que ele fez uma boa prova e que havia tomado uma surra, 6%. Mais uma vez fiquei cheia de orgulho vendo tanto atirador elogiando e exaltando a vitória do meu menino. Foi uma linda reestreia. Foi lindo de ver!

 

Fl Open 16 results

Resultado geral: http://www.uspsa.org/uspsa-display-match-results-detail.php?indx=16729&division=Open&guntype=Pistol

 

ProAm Shooting 2015 – Frostproof/FL

O ProAm Shooting é uma modalidade criada nos EUA e um pouco diferente das outras. No IPSC tradicional ou na USPSA temos o ponto dividido pelo tempo de cada pista, ou seja, quanto mais pontos somados no menor tempo possível, melhor. No Steel Chalenge, contamos apenas o tempo dos 4 melhores dentro das 5 passadas de cada pista, sendo 8 no total. Já no ProAm temos um tempo limite para derrubar o máximo de alvos metálicos na pista. Por exemplo, numa pista com 50 metálicos com diversos postos de tiro, eles te darão um tempo de 20 segundos. O objetivo é derrubar o máximo de alvos possíveis antes dos 20 segundos, sendo permitido apenas 10 munições por carregador. Quem derrubar mais dentre todas as pistas vence. Caso aconteça um empate, é feito um shoot off para definir o vencedor.

Além disso, eles dividem os competidores entre profissionais e amadores. Na “Pro” vale dinheiro e na “Am” mesa de premiação com prêmios muito bons. Já que estava lá, acabei optando pela Pro. Fazia tempo que queria participar desta prova e a experiência valeu muito a pena.  Sem dúvida nenhuma, foi uma das provas mais divertidas que já participei. Fiquei no mesmo squad do Max Michel – atual campeão mundial de IPSC na divisão Open, Dave Sevigny – bi campeão mundial Production, Shannon Smith – atual campeão do ProAm 2014, Jessie Duff – a melhor americana de Tiro Pratico e de mais outros top shooters americanos.

Comecei a prova totalmente perdido e na terceira pista comecei a me igualar aos caras. Este meu início me custou caro, mas consegui finalizar a prova em 3º lugar. Conclui a prova super satisfeito e de quebra ganhei uns dólares. Lógico que o objetivo do esporte não é ganhar dinheiro, caso contrário os atiradores brasileiros já teriam desistido. Porém é muito mais motivador quando existe um prêmio a ser alcançado. Por isso os americanos são mais profissionais e generalizando são os melhores. Nossos dirigentes deveriam pensar um pouco mais nos atletas e consequentemente em elevar o nível do nosso esporte, não apenas em benefício próprio e política interna.

 

 

 

 

 

Florida Open 2014 – Frostproof/FL/US

Esta foi a minha primeira prova de 2014, depois de um bom tempo de férias das competições. Fiz uma prova tranquila, com pequenos deslizes e o melhor, de empunhadura nova. Depois de 16 anos disparando com o dedo indicador da minha mão esquerda no guarda mato, resolvi mudar e fazer o que eu sempre ensinei.

Fiz uma prova tranquila, com pequenos erros. Na média geral meus tempos foram bons, já a pontuação poderia ter sido um pouco melhor. Terminei a prova satisfeito e tive que aguardar o resultado por dois dias. Atirei tudo na sexta, quanto alguns concorrentes atiraram sábado e domingo. No final acabei perdendo por 3 pontos ou 0,2%… Fiquei na frente dos 2 últimos campeões mundiais… Estou ciente dos erros e feliz com o resultado!

Segue um vídeo feito pelo meu amigo Wagner Sarkis. Peço desculpas pelo atraso.

Grande abraço a todos.

fl_op_14

IPSC US Nationals 2013 – Frostproof/FL

us_nationals_frost_13_2

Prova muito boa aqui no estande do Frank Garcia em Frostproof/FL. O nível técnico foi excelente e bem diversificado. Tivemos todos os fundamentos do IPSC nesta prova, sendo assim os mais técnicos se sobressaíram.

Dois dos melhores “top shooters” americanos da Production, Dave Sevigny e Robert Vogel migraram para a Standard neste ano, aumentando e muito o nível desta divisão. Vogel é o atual campeão mundial da Production e Sevigny venceu o mundial de 2005. Na minha opinião esta mudança foi devido a ida do Eric para a Production que está “nadando de braçada”. Porém a grande revelação foi o Nils Jonason, que alem de ter ganho aqui em Frostproof, ele recem ganhou o USPSA Limited Nationals e Limited 10 Nationals. O cara está afiadíssimo e muito bem preparado psicologicamente.

Meu desempenho foi razoável, finalizei a prova em 6º com 93%. Tive uma pista zerada, 6 miss e 3 no-shoot. Dentro desta realidade este percentual foi excelente. Pequenos erros ainda estão ocorrendo, porém a cada prova que passa eu estou mais experiente. O aprendizado é infinito…

Desde Vitória eu mudei a configuração da minha munição. Abandonei os projéteis que eu tanto gosto de 220gr para os de 200gr. Desta maneira, quando eu precisar treinar antes de algum evento fora do Brasil eu não irei estranhar tanto a batida da arma. Obrigado a Lyon Bullets pelo apoio e torcida de sempre.

Amanhã vou para Tulsa/OK disputar o USPSA US Nationals de Production. Não é a minha “praia” mas farei o meu tiro e quem sabe obter uma boa colocação.

Infelizmente não fiz muitas imagens para não tirar o meu foco. Os vídeos abaixo foram feitos com a Tachyon HD. Eu recebi uma de presente do representante aqui dos Estados Unidos e gostei muito da qualidade e praticidade desta câmera.


overall_us_nationals_ipsc_13