Inicial > Comentários de Provas, IPSC, Jaime Saldanha Jr, Tiro Prático > Nacional Standard 2011 – Salvador/BA

Nacional Standard 2011 – Salvador/BA

Salvador, a cidade contagiante com atrativos para todos os gostos, sediou neste final de semana o campeonato Nacional Standard. Praias bonitas, locais históricos, Elevador Lacerda, Farol da Barra, Mercado Modelo, Pelourinho, Igreja do Senhor do Bonfim, música, gastronomia, religiosidade, capoeira, carnaval e lógico, a alegria e hospitalidade do “povo baiano” tornam essa cidade um dos principais pontos turísticos do Brasil. Não é a toa que Salvador é conhecida como a capital da alegria.

O campeonato organizado pela FBTP, contou com o forte empenho de Claudio Gomes e Cesar Castro. É claro que muitas outras pessoas contribuíram, porém sem estes 2 “cabeças” nada teria acontecido. O Cesinha, que estava no meu squad, foi obrigado a sair para resolver inúmeros problemas durante a prova e isso infelizmente prejudicou sua performance nas pistas. Parabéns a todos pelo esforço, que não foi pouco, e que quase foi destruído devido a quantidade de chuva que caiu nas vésperas do evento.

As pistas estavam abertas e rápidas, onde nem todos os fundamentos foram exigidos. Sem dúvida alguma a velocidade e deslocamento foram fatores fundamentais para um bom resultado nesta prova. Desta maneira o resultado acaba nivelado um pouco por baixo, mas com certeza foi uma prova bem alegre para todos.

Eu me diverti muito e venci pela quarta vez este torneio. Atirei bem solto, tranquilo e até forcei além do limite em alguns estágios. Ganhei 6 pistas das 13 disputadas. Alvaro Neto (BA), também mandou muito bem e ficou em segundo lugar com uns 5% atrás e Cesar Castro (BA) em terceiro.

Infelizmente algo chato aconteceu na 3ª pista do primeiro dia de prova. Eu não seria justo comigo mesmo e com alguns competidores do meu squad se eu deixasse isso passar em branco.

Alguns poppers da pista 9, após todos os ROs atirarem no pre match e mais 2 squads no match principal, não foram pintados. Estes 4 poppers estavam praticamente da cor do barranco no fundo do stand, marrom e cheio de disparos. Logo quando cheguei na pista, antes mesmo do briefing, solicitei ao RO Gilberto para que providenciasse a pintura dos mesmos, porém ele me disse que já havia solicitado e que provavelmente a tinta não chegaria.

Pois bem, o nosso squad iniciou a pista. Após 9 competidores terem passado, a tinta chegou e o RO IROA Marcelo Neves autorizou a pintura dos poppers para os 3 últimos do nosso squad. De poppers marrons, ficaram branquinhos com um super contraste. Neste caso todos os 9 que haviam disparado foram nitidamente prejudicados. Eu não conheço 100% do regulamento, mas uma coisa eu tenho certeza: IPSC = “igualdade para todos em primeiro lugar”. E isso pra mim fugiu completamente deste princípio. Seria o mesmo que mudar um cenário depois da metade do squad passar.

Imediatamente fui consultar o RM Sergio Martins, que por sinal estava assistindo tudo de fora e o mesmo não deu a mínima. Citou alguns exemplos climaticos para justificar a sua posição, só não sei o que o clima (natureza) tinha a ver com a minha contestação (ato humano). Consultei prontamente vários outros ROs e os mais experiêntes competidores presentes nesta prova, pois eu estava inconformado com isso tudo. 90% ficaram do meu lado e o restante preferiu não opinar. Novamente tentamos falar com o Sergio que estava nervoso, acabamos discutindo e para variar ele deu as costas. Bom, fiquei bem irritado e por sorte isso não interferiu no meu desempenho.
Eu e mais 3 integrantes que disparamos antes da pintura, até iríamos entrar com recurso, mas deixamos pra lá por 2 motivos:
 1) Iríamos entrar por uma questão moral, pois temos que nos valorizar e não aceitar tudo o que UMA pessoa acha. 2) Achamos melhor não esquentar mais a cabeça e entramos em um consenso, pois não iria mudar praticamente nada no resultado final.

Se a organização da prova tivesse entregue a tinta em todas as pistas no início da prova isso não teria acontecido. Vale frisar que o RM é uma peça fundamental da organização da prova e também é de responsabilidade dele cobrar isso. Alguns atletas não podem ser prejudicados devido a este tipo de erro. Segundo o Cesinha a tinta estava lá desde um dia antes do início da prova. E se levarmos a risca o lema “igualdade para todos”, após o primeiro ter atirado sem pintar, aqueles poppers não levariam tinta até o último competidor passar naquela pista.

O tiro para muitos é apenas diversão e para poucos é diversão com responsabilidade e profissionalismo. Eu me enquadro na segunda opção e não estou ali para brincadeiras. O tiro além de um hobby que é a minha paixão, é tb meu trabalho. Arrogância pra mim é camuflar a incompetência. Erros todos cometemos, o difícil é ter humildade e bom senso para reconhecer e tomar a decisão correta.

Todos os ROs do Brasil e meus companheiros de squad, de 15 anos, sabem que eu não sou de criar encrenca com pontuação e muito menos com a arbitragem, mas paciência e tolerância tem limite.

Resultado dos 30 primeiros:

Anúncios
  1. Cassio Martingo
    01/novembro/2011 às 13:58

    Calma super Turtle.
    Concordo com voce, pelo que aprendi, a situação deve ser igual para todos, assim, se é para pintar no início de cada Squad, TODO início deve receber pintura, e NUNCA no meio do Squad.
    Se já haviam passados alguns Squads sem pintura, TODOS os competidores deveriam também passar sem pintura.
    Mas, deixa pra lá, o importante é que VENCEU mais uma, e que venha o Brasileiro….
    Abraços.

    • 01/novembro/2011 às 17:33

      Já é passado Cassião… Mas eu fui obrigado a publicar… Fomos prejudicados e ignorados, não seria justo deixar passar em branco. Nos vemos este final de semana em Atibaia. Quem venha o brasileiro.
      Abs

  2. Alexandre Soviero
    01/novembro/2011 às 17:02

    Concordo e está na regra:
    4.5 Rearrangement of Range Equipment or Surface
    4.5.2 The competitor may request that Match Officials take corrective actions to ensure consistency in respect of the range surface, the presentation of targets and/or any other matter. The Range Master will have final authority concerning all such requests.
    4.6 Range Equipment Failure and Other Issues
    4.6.1 Range equipment must present the challenge fairly and equitably to all competitors.
    Parabéns por mais uma vitória!

  3. 01/novembro/2011 às 17:21

    Sem querer colocar lenha na fogueira, pra ser igual para todos os poppers devem ser pintados entrea cada atirador, em um Squad com 15 competidores o primeiro atira em um popper pintado e bem visivel, o ultimo vai atirar em um popper já bem diferente do primeiro, quase todo cinza, ou marrom como foi o caso.

    No mais, parabéns Jaimão, vamos nos preparar pro Brasileiro!!

    • 01/novembro/2011 às 17:36

      Concordo… Mas para eles isso foi a coisa mais natural dentro do nosso esporte. Muitas outras coisas aconteceram Luis, mas como não foi comigo eu não me atrevo a publicar.
      Um forte abraço e vê se treina para o brasileiro… Temos uma equipe razoável em SP, acho que dá para brigar com os gaúchos e os baianos.

  4. Flávio Carvalho Chain
    01/novembro/2011 às 18:24

    Grande Jaiminho,
    Detonou , como sempre !! Foi um grande aprendizado vê-lo atirar mais uma vez. Parabéns e forte abraço.

    • 01/novembro/2011 às 18:38

      Parabéns a vc tb pelo excelente resultado na Production. Acho que agora vc está voltando aos velhos tempos… Boa sorte daqui pra frente…
      Um forte abraço, jaime

  5. jose mauricio de paiva
    01/novembro/2011 às 18:58

    Parabéns Jaiminho! Não só pela vitória, mas pela coragem de dizer certas coisas pra pessoas que se acham “deuses”.
    Grande abraço.
    Mauricio.

    • 01/novembro/2011 às 21:44

      Obrigado Dr Maurício !!! Isso não foi nada perto das coisas que estão acontecendo por aí, mas relatei apenas o que aconteceu comigo.
      Te vejo no brasileiro… Abração

  6. Julio José Berutti
    01/novembro/2011 às 20:25

    Parabéns Jaiminho, mandou muito bem como sempre…e gostaria de dizer que concordo com vc, merecemos mais respeito e consideração…apesar de ter apenas 3 anos de tiro, já sofri muito com o descaso e desrespeito de atiradores e ROs…quando iniciei na 380 ouvi muita besteira e só não desisti porque o tiro é viciante…pena que poucos são como vc e seu pai!!!
    Grande Abraço, nos vemos em Atibaia!!!

    • 01/novembro/2011 às 21:46

      Isso mesmo Julio… afinal, somos brasileiros e não desistimos tão facilmente. Até sábado em Atibaia !!!
      Abração

  7. marcelo sabbá
    01/novembro/2011 às 23:54

    Jaime importante que vc deu seu recardo, não devemos concordar com tudo que uma pessoa acha. Parabéns pelo seu resultado.
    Abraços, espero te ver no Brasileiro.

  8. Ricardo da Escóssia
    02/novembro/2011 às 8:17

    Jaime, parabéns duas vezes. Primeiro pela classificação, o que não é novidade pra ninguém, e segundo, o mais importante, é este comentário ter partido de voçê, pela importância do seu nome dentro do tiro esportivo. Pratico amadorísticamente, a 20 anos, por puro hobby, com responsabilidade. E o “igualdade para todos”, é uma lição pro IPSC.
    Fiz curso RO com Sérgio Martins, e achei estranho ele ter se comportado desta forma.

    Ricardo da Escóssia

    • 02/novembro/2011 às 13:37

      Ricardo, estou achando o comportamento dele estranho há tempos… Este não é o Serginho que eu conheço… Mas está dado o meu recado.
      Sem o princípio básico fica difícil, não é mesmo.
      Um forte abraço

  9. Mineiro
    02/novembro/2011 às 21:37

    Parabéns Jaime !

    Mesmo sendo amador acho que o esporte do tiro no nosso país deve ser mais profissional e isto só é possível se cobrarmos que os procedimentos sejam feitos seguindo um padrão único!

    Forte abraço

  10. 03/novembro/2011 às 9:39

    Oi Jaime,

    Parabéns mais uma vez, pelo desempenho e pela postura.
    Quero parabenizar os amigos baianos pela prova realizada e deixar claro que respeitamos muito todo esforço e dedicação daqueles que fizeram esse grande evento, sobretudo considerando as circunstâncias em que foi realizado. Só erra quem faz!

    Dito isso, passo a relatar o ocorrido com a delegação pernambucana.

    Estou presidente da Federação Pernambucana de Tiro Prático e minha principal ação a frente da entidade é a formação de novos atletas. É um trabalho de fôlego que aos poucos vem surtindo efeito e trazendo novos atletas para esse nosso esporte maravilhoso. Os “novinhos” chegam atraídos pela adrenalina do esporte, pelo exemplo de atletas como o Jaime e pela estrutura e regulamento que primam pela segurança e igualdade de condições entre os atletas. No IPSC, vale a regra e a regra é clara!!!!

    Pois bem, a equipe .380 Light de pernambuco estava disputando os primeiros lugares na Divisão com um atleta do Rio (aliás, grande promessa do esporte, pelo desempenho ainda tão novo). Ocorre que, ao submeter, como todos os demais atletas, suas munições ao procedimento de verificação no cronógrafo, estas atingiram o fator de 81.

    Depois de diversas gestões dos pais do atleta, ambor RO´s do Rio, junto ao Range Master, esse declarou que não poderia aplicar a regra quanto ao cronógrafo, pois o equipamento não estava confiável, pois teria apresentado problemas de leitura na tarde anterior, devido à falta de luminosidade(problema normal em provas no NE em que a luminoside cai bastante a partir das 16:30).

    Como presidente da FTPPE, ao tomar ciência do ocorrido, procurei o RM Sérgio Martins para buscar esclarecimentos sobre sua decisão. Argumentei que todos os demais atletas do Squad da light passaram no mesmo momento no cronógrafo e obtiveram medidas de fator acima do fator mínimo e compatíveis com as medições esperadas. Argumentei também que se a decisão for considerar o cronógrafo não confiável, este deveria ser desconsiderado, passando a valer o fator declarado para TODOS OS COMPETIDORES DA PROVA. Em princípio, o Sérgio concordou em eliminar o cronógrafo se o RO que o operava, Rogério Rosas, o considerasse não confiável.

    Rogério garantiu o normal funcionamento do cronógrafo e, ao medir novo lote da munição do atleta carioca, que novamente não atingiu o fator mínimo, ratificou o regular funcionamento do aparelho. Diante da postura firme e irrepreensível do RO Rogério Rosas, nada restou se não cumprir a regra e eliminar o resultado do atleta da competição.

    Quero parabenizar o RO Rogério Rosas pela postura exemplar e pela forma firme e serena com que fez valer a regra. São condutas assim que fazem nosso esporte grande. Parabéns, Rogério!

    Do episódio ficam algumas lições:
    1. A melhor forma de incentivar novos atletas a participarem do esporte é fazê-lo justo e seguro para todos. Que exemplo daríamos àqueles que iniciam no esporte se deixássemos de fazer CUMPRIR A REGRA?

    2. Precisamos avançar na adequação de nossas provas à regra e na qualidade de nossos equipamentos, sobretudo quanto ao cronógrafo. Tivéssemos um equipamento com luz artificial e instalado em local adequado, firme e nivelado, não teríamos o problema ora relatado. Essa é uma tarefa de todos nós.

    Desculpem o post extenso.

    Laplace Medeiros.

    • 03/novembro/2011 às 11:45

      Excelente explanação Laplace. Fiquei sabendo do ocorrido, mas não com tantos detalhes. Achei correta a postura do RO Rogério Rosas, porém não entendi a segunda passada no cronógrafo do competidor Betinho. Uma pergunta: E se na segunda passada a munição desse fator? Imagina se todos os competidores que ficassem com fator menor tivessem uma segunda chance… Não entendi ao certo quem autorizou, mas isso foi errado! Gosto muito dele e realmente ele tem um grande futuro no IPSC… me parece que ele ganharia a prova se desse fator. Parabéns a ele e que leve isso como experiência para os próximos eventos.
      Abs, Jaime

      • Alan Rommel
        03/novembro/2011 às 12:35

        Bem Jaime, vou entrar na conversar, pois fui o campeão da Light e estou diretamente envolvido no fato, respondendo as suas perguntas

        E se na segunda passada a munição desse fator?
        Resposta -Seria desconsideado a primeira aferição e ele seria campeão.

        Não entendi ao certo quem autorizou, mas isso foi errado!
        Resposta – Foi eu que solicite ao RO da pista 13, por acha que a munição dele estava abaixo do fator, esclareço ainda, que solicitei antes dele passar no cronografo,
        Quando ele passou no cronografo e nao deu fator, o resultado do cronografo iria ser desconsiderado alegando defeito no aparelho, porem ninguem sabia que eu tinha solicitado ao RO da ultima pista a fazer a coleta das muniçoes pista essa, a posterior ao cronografo. Coleta essa que foi feita pelo RO da pista 13 . Nesse momento a arbitragem(RM) falou que se a munição coletada na pista desse fator ele nao seria desclassificado e desse fator o cronografo não seria aceito e o fator de todos os atletas seriam o declarado na Inscrição, porem a munição coletada na pista também nao deu Fator.

        Depois do fato chamei o Betinhono no canto, conversei com ele e explanei os motivos que me levaram a solicitar a coleta das munições(motivos esse que não colocarei aqui para não expor ninguem).

        Gostaria de deixar bem claro que em nenhum momento quiz expor o garoto, até porque eu tenho o dobro da idade dele, a questão só teve repercução devido ao suposto cancelamento do cronógrafo, ele e os pais sairam da prova chateados comigo, mas não fiz nada no intuito de prejudica-lo, meu intuito era eu não sair prejudicado na prova.

        Repito aqui o que disse a ele na prova, pela idade que ele tem e o nivel técnico que ele tem aos 15 anos ele tem capacidade de ser um Jaime Saldanha no futuro.

        Desculpa utilizar seu espaço, forte abraço.

        Alan Rommel

      • 03/novembro/2011 às 13:10

        Agora eu entendi Rommel. Achei que a munição havia sido recolhida antes dele ter passado no crono. Agora faz todo sentido. Um forte abraço, Jaime

  11. Alan Rommel
    03/novembro/2011 às 10:05

    Jaime você que é a referência do Tiro Prático no Brasil não é respeitado em seus direitos como atleta em uma competição Nacional, imagina nós probres mortais.

    • 03/novembro/2011 às 11:48

      Pois é Rommel… Faltou imparcialidade do RM. Pra ele, todos os ponteiros querem levar vantagem e na realidade nós não queremos ser prejudicados, só isso. É como eu disse: Igualdade para todos, independente do nível do competidor.
      Abração, Jaime

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: